terça-feira, 13 de setembro de 2011

Desfile Cívico 2011 - Terra: Nossa mãe, nossa vida!

Mostrando a exuberância da natureza, representada pela figura feminina, reafirmamos a declaração das Mulheres Indígenas na conferência da ONU: “A Terra é a nossa mãe. Dela recebemos a vida e a capacidade para viver. Zelar por nossa mãe é a nossa responsabilidade e, zelando por ela, zelamos por nós próprios. Todas as mulheres são manifestações da Mãe Terra em forma humana.”

            Daniela Deyse - Baliza: A Exuberância da Natureza
No princípio Deus criou os céus e a terra. E sob a Luz Deus fez vida na Terra e vida em abundância. A Terra, pois produziu a vegetação, que dela brota mesmo nos solos mais áridos, como uma dádiva. E fez Deus os animais selváticos, domésticos, répteis, aquáticos e aves. E Deus os abençoou dizendo: sede fecundos, multiplicai-vos e enchei as águas, a terra e os céus (*baseado em Gênesis: 1).
           
Comissão de frente
Bárbara Maria e Lara Danúbia


Harielly e Rebecca

Gislly e Milena


Carro Alegórico : A criação

Entre as esculturas, alunos do ensino Infantil representavam a fauna e a flora

















Ar
Água
Terra

Criou Deus, pois, o homem à sua imagem e semelhança. Porém, desvirtuando-se dos propósitos Divino, celebra a união entre ganância e capitalismo. A sociedade chega aos dias de hoje um pouco desconfigurada: de um lado tecnologias impressionantes que não acabam mais; e de outro a autodestruição, como mostra o nosso desfile: lixo, poluição das águas, queimadas, extinção de algumas espécies; e mudanças climáticas.
Será preciso a mãe natureza, nos ensinar por meio de sua revolta, que todos nós necessitamos ceder em prol de uma existência equilibrada? Será preciso inúmeras catástrofes, já anunciadas pelos cientistas, para que todos entendam que nós precisamos encontrar um caminho de alternativas, com novas formas de sobrevivência, diante do esgotamento da atual forma de vida?
Poluição
Pedro Henrique, um dos representantes do principal agente poluidor: o homem
Poluição das águas
Ana Lívia representando os poluentes
As queimadas: cada vez mais desenfreado, o fogo toma conta do verde.
Mudanças climáticas
A extinção das espécies

Uma coisa é certa: a natureza é a fonte de energia de todos nós e se ela se desequilibra, consequentemente, todos nós nos desequilibramos. O homem, como animal que é, também necessita da natureza para viver. Mas ainda há solução, pois a mesma mão que destrói, também é capaz de reinventar. E desse modo, apresentamos algumas formas de harmonia entre a sociedade e a natureza: reciclagem, energias limpas e renováveis como a solar e a eólica, o biocombustível e o manejo dos recursos hídricos.
Ingrid Stephanny representando a Reciclagem
Biocombustível
Energia Solar
Energia eólica
Manejo dos recursos hídricos

Água: usar somente o necessário

E nunca desperdiçar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário